• Yubertson Miranda

Arcanos Maiores e Menores conflitantes: como fazer?

ADOREI os comentários no post em que eu abri espaço para vocês trazerem pares de Arcanos conflitantes. Falarei sobre eles agora!

Começarei compartilhando uma experiência ocorrida na 5a.feira passada, quando saí com O Louco e o 4 de Espadas como o par de Arcanos do Dia.

O Louco simboliza a liberdade, a leveza, a soltura. Já o 4 de Espadas é o travamento, o bloqueio, a paralisação e a reflexão. É uma espécie de Pendurado dos Arcanos Menores. Quando saí com esse par, sorri para mim mesmo. Porque teria uma experiência prática a respeito do que eu planejei escrever aqui no blog:

– Como encarar, interpretar e lidar com um par de Arcanos formado por um Arcano Maior e um Arcano Menor conflitantes?

Muitos Tarólogos consideram que o Arcano Maior prevalece sobre o Menor. Ou seja, se num resultado de um jogo, aparece, por exemplo, o par Sol / 3 de Espadas, isso quer dizer que a conquista do Sol prevalecerá sobre a frustração do 3 de Espadas. Ou seja, consegue-se (Sol) o que foi perguntado ao Tarot, mas com uma pequena frustração (3 de Espadas) nesse êxito (Sol).

Eu não gosto de ver esse lance de um predominar sobre o outro. Cada um tem sua força. E cada força dessa atuará em nós, em nosso dia e na questão abordada pelo Tarot. Vejo ambas atuando, por mais que APARENTEMENTE uma possa ser mais notória que outra. Mas o fato de uma ser mais evidente que outra não quer dizer necessariamente que predomina sobre a outra. 

Pude mais uma vez comprovar essa interação de forças, sem haver dominância de um Arcano sobre o outro, na quinta-feira passada, quando vivi o par Louco / 4 de Espadas. Vi que um Arcano acaba puxando do outro certos atributos similares. 

Por exemplo, o 4 de Espadas gosta de ficar quieto, parado, refletindo, pensando e analisando. Consequentemente, “puxa” do Louco a faceta mais à toa desse Arcano. Aquela que não quer fazer nada. Se fosse um Cavaleiro de Paus, esse iria “puxar” a faceta mais aventureira do Louco e a disposição de sair por aí, num verdadeiro espírito de aventura, rolaria. Já vi isso ocorrendo comigo, quando saí com Louco / Cavaleiro de Paus. Eu tinha disposição para ir à pé até a casa de meus pais e depois continuar a jornada à pé também até a biblioteca pública. 

O fato de eu ter ficado mais na minha, com preguiça e à toa, justamente para refletir e analisar certos estudos e teorias que me dediquei na quinta-feira quer dizer que o 4 de Espadas prevaleceu sobre o Louco? A quietude (4 de Espadas) prevaleceu sobre o espírito aventureiro do Louco? Não. Porque o Louco também tem o atributo de não querer responsabilidades e curtir à vida sem tanta rotina e curtindo o “ócio criativo” (ficar muito tempo à toa, sem uma meta predefinida). E foi esse atributo que o 4 de Espadas puxou, por ser mais afim com os próprios atributos desse Arcano. 

Então, a primeira lição que compartilho (que não é verdade absoluta, por favor; mas sim um estímulo a experimentar em sua própria vida e observar na prática) a respeito dessa interação Arcanos Maiores e Menores conflitantes, é:

Observe o que pode haver de similar, de semelhante entre dois Arcanos aparentemente divergentes. E ver o quanto um Arcano “puxa” do outro essa similaridade. 

Agora vou me dedicar a prosear sobre os pares de Arcanos que vocês trouxeram no comentário do post anterior a este, sem ser o de ontem.

A RENATA (libriana) escreveu:

Caro Yub, Legal vc ter achado minha sugestão bacana ( e eu sou libriana, viu?). Bom, numa tiragem que fiz para uma amiga semana passada caiu Eremita e 3 de copas na casa quatro do Templo de Afrodite. Fiquei numa tremenda saia justa… Não sabia o que dizer. Afinal o cara que ela está se relacionando sente o que? Tá reservado, retraido afetivamente (Eremita), ou tá a fim de curtir e compartilhar afeto com ela? Outro dia também tirei Temperança/8 de paus num jogo como Futuro de uma determinada situação. Freio nas mudanças rápidas? Tive dúvidas… Outro par enigmático: Roda/7 de ouros na casa 1 do templo de afrodite.Aguardo retorno. Bjs,Renata

Yub, Acabei de lembrar de uma outra dobradinha: Diabo/4 de copas na casa cinco do templo de Afrodite. Na hora pensei: que diabos é isto? bjs, Renata (again).

YUB: Renata, o fato do cara de sua amiga ter Eremita / 3 de Copas na Casa 4 do Templo de Afrodite (o que ele sente por ela; como estão os sentimentos dele por ela atualmente), eu posso dizer que ele está se sentindo mais confortável e bem (3 de Copas) ao ter uma certa distância física (Eremita) dela. 

Que ele prefere, se sente melhor (3 de Copas), não demonstrar (Eremita) sentimento (Casa 4) por ela no momento (nos três meses de validade do Templo de Afrodite). 

Me veio uma possibilidade prática em mente. Sabe naquelas fases iniciais de uma paquera ou mesmo namoro que a pessoa sente o prazer de ficar apenas observando, estudando e analisando a outra pessoa? Pois é… tem muito a cara desse par Eremita / 3 de Copas. Ou seja, ele, em termos emocionais e sentimentais (Casa 4) está preferindo – porque lhe traz algum prazer (3 de Copas) – apenas observar, estudar e manter-se um pouco distante (Eremita) dela. Pode ser por timidez, por exemplo. 

Também existe uma outra situação. O Eremita geralmente envolvendo uma certa distância física, como pessoas morando em locais diferentes e separadas fisicamente. Há algumas clientes minhas que, quando encomendam comigo o Templo de Afrodite, sai em seus Jogos de Tarot o Eremita – e também a Sacerdotisa. Na maioria das vezes, elas estão envolvidas afetivamente com alguém que mora em outra cidade ou estão num namoro virtual. Não sei se é o caso dessa sua amiga, mas esse par Eremita / 3 de Copas pode mostrar que o cara está gostando e tendo um certo prazer (3 de Copas) por estar namorando virtualmente com ela (Eremita = distância física = namoro virtual).

Já o par Temperança / 8 de Paus como Futuro de uma relação me permite falar algo sobre o OITO DE PAUS que não está nos livros de Tarot. Pelo menos, nos que li, nunca vi essa informação sobre o 8 de Paus. Todos que tenho falam de rapidez na conquista,  no avanço. E eu não vejo isso na prática do 8 de Paus, Renata. Eu vejo o 8 de Paus sendo um carro que tenta arrancar com a quinta marcha, mas que está com o freio de mão puxado. 

E só depois de superar esses baitas obstáculos que, aí sim, avança-se rapidamente na busca da meta pretendida. E como tem a – na maioria das vezes – lenta Temperança acompanhando esse Arcano Menor, unem-se os atributos de demora e obstáculos de cada um. Ou seja, pode demorar muito (Temperança e 8 de Paus) até os ajustes serem feitos, as harmonias serem realizadas e a união ser melhor conciliadada (Temperança) para vencer os baitas obstáculos (8 de Paus) para que a relação possa avançar (8 de Paus). Mas quando essa demora (Temperança e 8 de Paus) passar, com os ajustes (Temperança) e obstáculos sendo superados (8 de Paus), aí sim, o nível de união que eles poderão alcançar (Temperança) tenderá a ser alcançado com rapidez (8 de Paus). Digamos que essa relação nos próximos três meses custa a engrenar e se harmonizar; mas quando consegue, vai com tudo. 

O detalhe é que na maioria dos jogos de amor (Templo de Afrodite) que já fiz, a Temperança indica mais uma amizade que um amor romântico… 

Já o par Roda da Fortuna / 7 de Ouros na Casa 1 do Templo de Afrodite (o que o consulente está intencionando com determinada pessoa), realmente é um par conflitante. A Roda é rápida, o 7 de Ouros é lerdo. Então, o consulente que saiu com esse par pode ficar muito ansioso (Roda da Fortuna) para alterar (Roda da Fortuna) uma situação dessa relação/vínculo, intencionando (Casa 1) surpreender (Roda da Fortuna) o outro, mas não sai do lugar (7 de Ouros), porque fica apenas refletindo (7 de Ouros) se investe ou não (7 de Ouros) nessa pessoa, nessa relação. Ou fica indeciso (Roda da Fortuna) se mantém a relação como está ou se faz um investimento maior (7 de Ouros) neste intercâmbio afetivo.  

Consequentemente, o 7 de Ouros pode “puxar” o lado mental e analítico da Roda da Fortuna. E a pessoa pode ficar super sobrecarregada de análises, indecisões e reflexões sobre o que faz ou não faz neste relacionamento e com esta pessoa. E fica numa alteração mental constante, ora intencionando algo, ora intencionando outra coisa com tal pessoa e relação. E, com isso, acaba não fazendo nada, mantendo tudo como está e se exaurindo de análises e reflexões repletas de altos e baixos ansiosos.

Já o par Diabo / 4 de Copas, Renata, pode indicar que a pessoa ambiciona muita coisa (Diabo), mas não toma decisão efetiva, não age, pois prefere esperar comodamente (4 de Copas) que seus desejos se realizem (Diabo). Prefere mais usar de certas estratégias manipuladoras e sedutoras (Diabo) para atrair (4 de Copas) o outro até ela para se satisfazer (Diabo). É o tipo da pessoa que seduz, dá bola (Diabo), mas quando se chega nela, ela não quer, tá toda entediada (4 de Copas). 😉

PAULA FERNANDES escreveu:


Legal esse tema. Essas dobradinhas as vezes me cansam. Sabe quando um assunto nunca vem tranquilo? Sempre tem alguma coisa junto, desagradável? Pois é, é isso. Sol/3 de espadas= esse Sol tá medroso, guarda inseguranças…Yub, e o que vc acha de uma Roda/10 espadas??

YUB: entendo, Paula… rsrs Bem, o par Sol / 3 de Espadas eu falei acima. E, nesse caso, a pessoa pode estar confiante e, ao mesmo tempo, frustrada; busca ser otimista (Sol), mesmo quando as coisas não saem como ela esperava e a frustram (3 de Espadas). 

Já a Roda da Fortuna / 10 de Espadas tende a indicar uma surpresa, uma reviravolta e uma alteração (Roda da Fortuna) de uma situação que acaba finalizando uma situação dolorosa, um ciclo sofrido (10 de Espadas). O acaso (Roda da Fortuna) proporciona o fim da dor ou a dor do fim (10 de Espadas). 

Falei mais sobre o 10 DE ESPADAS neste post:

http://yub-tarot.blogspot.com/search/label/Reflex%C3%B5es%20sobre%20o%2010%20de%20Espadas

Beijãozão nocês…

Yub      

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo